EDITORIAL

Editorial

Equipe Kinograma, 2016

Kinograma é o resultado de uma idealização coletiva motivada pela cinefilia e inquietações comuns entre os amigos Gabriel Moraes, Daniel Cassel e Alexander Aguiar. Nossa proposta é, sem periodicidade definida, publicar textos que possam vir a provocar uma discussão teórica e ideológica sobre o Cinema, não limitando os filmes ao seu tempo de duração, e sim buscando ampliar coletivamente as experiências da sala escura.

Os textos aqui publicados são de caráter pessoal, expressando as motivações pessoais de seus autores na data de sua escrita/publicação, não representando um pensamento imutável que não possa ser passível de novas interpretações a cada revisão de qualquer obra em específico.

Temos como proposta possibilitar novas leituras possíveis em relação a filmes que não necessariamente façam parte do circuito de exibição comercial, buscando ampliar os diálogos sobre a sétima arte entre todos os possíveis interessados. Desejamos a todos uma boa leitura.

ÚLTIMAS POSTAGENS

Caracol, Kawase, Cinema

Tomates e assíntotas

  Como um dos últimos rebentos do século XIX, o cinema veio ao mundo carregando em seu DNA elementos característicos de um período de fissura e transição. Suspenso num limbo entre o posado das artes e o infinitesimal da ciência, foi declarado natimorto por seus próprios genitores. Ao afirmar que “o cinema é uma invenção … Continue lendo "Tomates e assíntotas"

Leia Mais +

"Uma certa tendência"?

Notas sob(re) Roma

  Desde a uniformização griffithiana da sintaxe cinematográfica e sua respectiva dissecação por Kuleshov e companhia do outro lado do planeta, parece que alguns filmes nascem com o inerente potencial para ser campo de batalha de diálogos que acabam transcendendo o próprio entorno da obra. Não raros são os pontos de inflexão na evolução da … Continue lendo "Notas sob(re) Roma"

Leia Mais +

Cobertura "Festival do Rio" 2017 - Dia 5

Cobertura “Festival do Rio” 2017 – Dia 5

10 de Outubro Yonlu: ★★½ dir. Hique Montanari A figura de Yonlu é muito interessante, mas o filme em muito se apropria da história do artista para criar discursos maniqueístas tanto sobre a internet e a comunicação que ela oferece quanto sobre um deslocamento emocional da juventude. Quando o filme se propõe a uma estética que … Continue lendo "Cobertura “Festival do Rio” 2017 – Dia 5"

Leia Mais +